O Círculo

O filme que estreia essa semana nos cinemas, baseado em livro homônimo, é um conto sobre a privacidade. O Círculo, antes de qualquer outra coisa, é uma crítica construída sobre as redes sociais, a internet e o vício que agora assume proporções endêmicas, obrigando todos a estarem conectados 24 horas por dia, compartilhando desde sua alimentação a seus sonhos, suas rotinas, seu próprio corpo e suas ideias. O filme, apesar de não criar um mundo de distopia, parece encarar a realidade como algo avassalador, hiperglobalista e cada vez mais refém da tecnologia.

É dentro desse contexto que Mae Holland, interpretada por Emma Watson – num papel convincente, porém apagado – assume um posto de trabalho dentro do Círculo, uma startup liderada por Eamon Bailey (Tom Hanks). Seu trabalho parece inovador a princípio, mas pouco a pouco ela percebe que o produto final da empresa é a eliminação da liberdade individual e das privacidades, tudo em nome de uma alegada democracia global. E uma vez ciente disso, nossa heroína se verá presa a um dilema moral, o de defender a individualidade, ou de lutar pela igualdade universal, mesmo que a um preço muito alto.

Em sentido geral, as críticas a essa produção tem sido comedidas, sem elogios faustosos. Não se trata de um filme ruim, muito pelo contrário, é sugestivo, e sua síntese propõe uma reflexão pertinente a nossa época, cada vez mais interconectada. Por outro lado, não aguça nosso interesse, tamanha a carência de interpretações mais primorosas. Nem mesmo o premiado Tom Hanks conseguiu brilhar em seu papel, meio diluído entre tantos outros. Trata-se mais de um convite à reflexão do que de uma elaborada peça de arte e, nesse quesito, há de se reconhecer a sua importância. A pergunta que o filme nos faz deveria ser respondida por cada um de nós, cada vez que quisermos expor nossas vidas na rede, na internet, no virtual, na “nuvem”: Vale a pena?

Se quem assiste puder fazer essa pequena reflexão, certamente o ingresso já terá valido a pena.

 

The Circle. EUA, 2017. 110 minutos.

Gênero: Drama

Direção: James Ponsoldt

Elenco: Tom Hanks, Emma Watson, John Boyega, Bill Paxton , Karen Gillan, Patton Oswalt.

Foto: Divulgação

Related Posts

Gramado Film Market: inscrições abertas

Gramado Film Market: inscrições abertas

Já estão abertas as inscrições para o Gramado Film Market – Conexões, o mais novo espaço de aproximação de talentos do Festival de Cinema de Gramado. Com ênfase na força da linguagem audiovisual e suas novas dimensões, o projeto surge como um evento focado nos […]

2ª temporada do Wine Movie Peterlongo

2ª temporada do Wine Movie Peterlongo

O Wine Movie Peterlongo não apenas caiu no gosto do público como também passou a ser o cinema de Garibaldi, na Serra Gaúcha. Seguindo o estilo vintage da Capital Brasileira do Espumante, o cinema a céu aberto entre os vinhedos exibe ‘O Filme da Minha […]



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *